• Política Brasileira
  • 31.08.2016
  • Por Meu Agronegócio

11 ações de Blairo Maggi como Ministro da Agricultura

11 ações de Blairo Maggi como Ministro da Agricultura

Em 12 de maio, o senador Blairo Maggi tornou-se o novo Ministro da Agricultura, aceitando o convite do presidente interino Michel Temer. Nos primeiros dois meses à frente da pasta, sua gestão foi marcada principalmente por reuniões que tentam ampliar as possibilidades do país no comércio exterior.

 

Raio-X de Blairo Maggi como Ministro da Agricultura

Nascido em Torres (RS), Blairo Maggi tem 60 anos e, assim como o pai, fez do cultivo de soja a sua profissão. Formado em Agronomia, fundou em 1973 a Sementes Maggi – hoje Grupo André Maggi. Por sua atuação no Mato Grosso, ficou conhecido como o Rei da Soja.

Confira 11 fatos importantes registados nos primeiros dois meses do novo Ministro de Agricultura à frente da pasta:

1. Cai obrigação do seguro rural

Publicação da lei 13.195 determina que o agricultor não pode ser obrigado a contratar o seguro rural para ter acesso ao crédito de custeio agropecuário. O objetivo da medida é coibir a chamada “venda casada” pelos bancos.

2. Novo grupo de trabalho

Também sobre o seguro rural, o Ministério da Agricultura criou grupo de trabalho para desenvolver propostas de ajustes ao atual modelo praticado. Maggi disse que a reformulação do produto é prioridade da gestão.

3. Incentivo ao comércio exterior

Reunião em 7 de junho tratou da criação do Operador Econômico Autorizado (OEA) do agronegócio brasileiro. O programa, que já existe em 63 países, prevê a simplificação dos processos de comércio exterior, possibilitando reduzir o tempo de liberação de cargas e o chamado “custo Brasil”.

4. Abertura de mercados

Blairo Maggi participou na China de reunião de ministros da Agricultura do G20. Na oportunidade, se reuniu com autoridades para tratar de temas comerciais de interesse bilateral e compromissos sobre negociações agrícolas internacionais. Ele conversou com representantes da Coreia do Sul, Estados Unidos, México, União Europeia e Argentina.

5. Acordo promove agronegócio

Ministro autorizou publicação do acordo de cooperação técnica com a Agência de Promoção de Exportações do Brasil (Apex-Brasil). O objetivo é desenvolver uma estratégia de ampliação do comércio de alimentos e produtos agropecuários brasileiros no mercado mundial.

6. Metas no Senado

Blairo Maggi foi ao Senado Federal falar sobre as prioridades do Ministério. Na oportunidade, destacou o aumento das exportações e desburocratização como as principais metas, além do desejo de revisão dos juros para o financiamento de investimentos agrícolas.

7. Apoio ao capital estrangeiro

Ainda no Senado, o Ministro da Agricultura abordou a possibilidade de venda ou arrendamento de terras para estrangeiros. Ele defendeu o projeto de lei que tramita na Câmara e disciplina esse tipo de transação, com restrições para as culturas anuais, como os grãos.

8. Fiscalização de sementes

A descentralização da atividade de fiscalização do uso de sementes e mudas nas propriedades rurais é objeto de acordo assinado entre o Ministério da Agricultura e o governo do Mato Grosso. Pioneira no país, a proposta deve servir de modelo para outros estados.

9. Análise do trigo

Instrução normativa assinada pelo ministro Maggi autoriza laboratórios estrangeiros a realizar análise da classe do trigo importado. A medida atende a uma reivindicação do setor produtivo.

10. Acordos internacionais

Maggi reuniu-se com empresários e autoridades nos Estados Unidos, Argentina e União Europeia, buscando contatos e firmando acordos. Com os europeus, acerto para ampliar exportações abrange a cultura do açúcar. Com os americanos, a pauta foi a importação de milho geneticamente modificado. Já com os vizinhos, debateu a liderança do agronegócio no Mercosul.

11. Apoio aos produtores de maçã

Em visitas a Vacaria (RS) e São Joaquim (SC), o ministro discutiu demandas do setor macieiro. Entre elas, descartou abrir o mercado para a importação da fruta chinesa. Também anunciou a liberação de recursos para a conclusão do Centro de Controle Biológico e Manejo Integrado da Mosca das Frutas (Centro Moscasul).

Ainda é cedo para uma avaliação definitiva, mas é possível perceber que o novo ministro da Agricultura está empenhado em abrir novos mercados e fortalecer laços para o comércio exterior. Deixe aqui seu comentário.