• Grãos
  • Centro-Oeste
  • 26.09.2017
  • Por Meu Agronegócio

Com grande potencial, grão-de-bico começa a ser produzido no Brasil

grão-de-bico

O que você sabe sobre o grão-de-bico? Segunda leguminosa mais consumida no mundo, está entre as primeiras espécies cultivadas pelo ser humano, há milhares de anos, no Oriente Médio. No Brasil, está longe de ser um dos produtos agrícolas de relevância. Mas recentes iniciativas podem mudar este panorama.

Esse ano, na região do Cerrado, produtores iniciaram a primeira colheita em alta escala do do grão-de-bico no país. A intenção é aproveitar o grande potencial de mercado que o produto tem. A rentabilidade pode ser muito maior que a proporcionada pelo milho, e as condições climáticas da região colaboram para o cultivo.

Mercado Asiático

O grão-de-bico é um ingrediente comum na culinária do Oriente Médio, de alguns países da África e, principalmente, da Índia. Estamos falando do segundo país mais populoso do mundo (prestes a se tornar o primeiro), com mais de 1,3 bilhão de habitantes.

A Índia possui mais vegetarianos que os demais países do mundo somados. Nesse contexto, o grão-de-bico entra como uma importante fonte de proteína não animal. Por conta disso, é o país com a maior produção da leguminosa no globo – e, mesmo assim, isso não é suficiente para suprir a sua alta demanda interna.

É aí que chegamos no Brasil. Em dezembro de 2016, em matéria sobre os investimentos da fabricante indiana de defensivos agrícolas UPL no Brasil, já tínhamos antecipado o assunto ao abordar o acordo de cooperação entre os dois países.

Firmado quando o ministro da agricultura Blairo Maggi visitava o país asiático, a intenção do acordo era estimular o desenvolvimento de culturas agrícolas direcionadas ao mercado indiano. Entre essas culturas, é claro, está a do grão-de-bico.

Menos de um ano depois, já começamos a notar os resultados das primeiras iniciativas. O próprio ministro esteve na abertura da colheita da leguminosa no município de Cristalina, em Goiás. Em sua conta oficial do Twitter, o ministro publicou a foto de uma plantação que  visitou e escreveu:

“Na abertura da colheita do grão de bico em Cristalina-GO. Estamos apostando no cultivo por causa da crescente demanda à Àsia, por exemplo.”

Grão-de-bico em Parecis

O grão-de-bico também foi cultivado no Mato Grosso, no município de Campo Novo do Parecis, com a colheita iniciando na metade de julho. A plantação experimental serviu como pesquisa de viabilidade da cultura.

Em depoimento dado a vídeo produzido pela Parecis.net, o engenheiro agrônomo Thiago Ferreira explicou quais as condições climáticas da região são ideais para o cultivo do produto.

Segundo ele, o momento certo para instalar a plantação é quando começam a reduzir os índices pluviométricos. “Devido a ele ser uma cultura originária do deserto, então ele tem uma demanda menor por água, em torno de 200 milímetros bem distribuídos durante o ciclo da cultura”, explica.

No mesmo vídeo, o pesquisador Osmar Artiaga afirma que o preço de uma tonelada de grão-de-bico corresponde a cerca de 140 sacas de milho, sendo que tem um custo de produção menor. Para a colheita, pode ser utilizada a mesma colheitadeira utilizada na lavoura de soja, com alguns ajustes.

Quer saber mais sobre a colheita do grão-de-bico no Brasil? Deixe um comentário abaixo. Se você achou o artigo interessante, compartilhe com seus amigos nas redes sociais.