• Fazendo história: Alessandra Sodré
  • 01.11.2016
  • Por Meu Agronegócio

Empreendedorismo agrícola: e-commerce de laranjas dispara lucro de fazenda

Empreendedorismo agrícola

Enquanto agricultores conservadores não enxergam além dos números da colheita e de hectares de sua propriedade, o empreendedorismo agrícola se desenvolve e deixa para trás quem não se atualiza e busca a inovação. Afinal, não é porque o padrão da cadeia produtiva rural está consolidado há muito tempo que não há espaço para novos modelos de negócio.

É o que provou Alessandra Sodré, sócia fundadora da Laranjas Online, empresa que administra juntamente com Gustavo Conde, sócio administrativo. Trata-se de um site no qual é possível comprar laranjas direto da fazenda, em encomendas avulsas ou por um plano de assinatura mensal ou semanal.

Parece uma ideia muito simples, mas apenas para quem não vê o que ela representa. O Brasil é um grande produtor da fruta e responsável por cerca de 50% da produção mundial de suco de laranja. Apesar disso, esse é um nicho difícil para o pequeno produtor, pois não há grande valor agregado. O mercado é dominado por grandes empresas, que exportam sua melhor produção.

O Laranjas Online surgiu para possibilitar à Fazenda São Pedro, localizada entre os municípios de Sorocaba e Votorantim, vender sua produção diretamente ao consumidor final. Antes, as vendas eram exclusivas para a indústria, o que culminava em um excedente que era desperdiçado.

Como surgiu a ideia

Em um fim de semana com os amigos, Alessandra olhou para toneladas de laranjas dispensadas pela indústria jogadas no chão da fazenda e teve uma ideia. “Cheguei em São Paulo e ofereci nossas laranjas em uma página de vendas do Facebook – um saco de 27 kg a R$ 35”, conta a empreendedora ao Meu Agronegócio.

Na mesma noite, recebeu mais de 20 pedidos e não teve dúvidas de que apostar no modelo e comercializar um produto muito bom direto ao consumidor era uma grande ideia. “Ofereci aos nossos clientes um produto 100% natural, colhido e ensacado no pomar, entregue na porta do cliente em até três dias após a colheita. Um produto fresco”, conta.

Quem compra laranjas no supermercado, lembra Alessandra, está levando para casa frutas que, depois de serem colhidas, são lavadas, enceradas e só depois ensacadas. Quando chega na casa do consumidor, já não é mais um produto fresco.

Encurtando o percurso do produto eliminando os intermediários, a fazenda viu a sua margem de lucro aumentar. “Uma caixa de 40,8 kg e negociada com a indústria por aproximadamente R$ 15”, revela a empreendedora. Já um saco de 20 kg avulso, comercializado pelo site, custa R$ 33,00.

Tecnologia e empreendedorismo agrícola

Para aumentar dessa maneira o lucro da empresa, nem foi preciso inventar a roda, apenas aproveitar ferramentas já consolidadas – e-commerce e redes sociais – e passar a conversar diretamente com o consumidor final. Assim como no caso da Laranjas Online, há uma série de oportunidades para inovar no empreendedorismo agrícola.

Portanto, o produtor rural não precisa ficar atento apenas às últimas novidades tecnológicas da agricultura de precisão. Talvez o caminho para agregar valor ao seu produto esteja apenas em repensar o padrão das relações comerciais da fazenda.

O que achou da história do Laranjas Online? Conhece outros bons exemplos de empreendedorismo agrícola? Deixe um comentário com a sua dica.