• Inovação
  • Sudeste
  • 23.08.2017
  • Por Meu Agronegócio

Esalqtec: fomentadora de inovação no agronegócio brasileiro

Esalqtec

A Escola Superior de Agricultura “Luiz de Queiroz” (Esalq/USP) é um dos principais centros de pesquisa do Brasil voltados à temática do campo. Por isso, é natural que também agregue um polo de inovação do agronegócio. É o caso da Esalqtec, incubadora que auxilia empreendedores que unem tecnologia e produção rural.

Gerente executivo da Esalqtec desde 2005, o engenheiro agrônomo Sergio Marcus Barbosa acredita que as empresas atuantes no agronegócio fazem a difusão dos conceitos de inovação. Em relação às startups – “na maioria jovens empresas”, compara – a dificuldade é um pouco maior.

Isso porque a cadeia produtiva brasileira é muito grande, assim como a diversidade territorial do país, que contempla seis biomas. “Entendo que parcerias com distribuidores e com as universidades podem ser um caminho facilitador”, aponta.

Pequenas, médias e grandes empresas integradas

Por meio do programa Empresa Associada, a Esalqtec procura difundir um modo cooperativo de alcance de mercados pelas pequenas, médias e grandes empresas envolvidas, além das nascentes da incubadora. “Com as nossas 65 associadas, temos presença nos estados de SP, CE, RN, MG, MS, MT, PR, SC e RS.”

Há a aproximação com iniciativas como o Agrihub, aceleradoras e outros ecossistemas tecnológicos, complementa o gerente executivo. “É importante trabalhar com estratégias que alcancem o máximo de capilaridade. Não podemos esquecer o apoio da Esalq, muito importante para divulgarmos nossos projetos.” Exemplo é a participação no EsalqShow, nos próximos dias 10 e 11 de outubro.

Tecnologia inerente à produção agrícola

Barbosa cita o ex-presidente da Embrapa Eliseu Alves: “dizia ‘estão redondamente enganados os que teimam em chamar a agropecuária de atividade primária. Nenhum setor agrega tanto valor como o agronegócio. Vai do parafuso usado nas gigantescas colheitadeiras aos milhares de empregos que dá aos nossos jovens, passando por sementes, adubos, caminhões de transporte, navios e etc.’”

“Ou seja”, pondera o engenheiro agrônomo, “a inovação tecnológica sempre esteve presente de forma consistente no agronegócio, e que hoje se reflete nos números recordes de produção. Mas, na minha opinião, o destaque deste avanço é a sustentabilidade, ou seja, a preservação ambiental, fazendo mais com menos.”

Objetivos da Esalqtec

As diretrizes principais da Esalqtec são colaborar para que o conhecimento gerado se transforme em inovação e impulsionar as iniciativas empreendedoras. As soluções tecnológicas alcançadas por essa visão têm proporcionado o aumento de receita dos agricultores e pecuaristas nacionais.

“Como a Esalq se destaca na relevância de suas pesquisas, o surgimento de uma empresa oriunda deste meio proporcionará, sem dúvida, produtos e serviços inovadores para o nosso produtor rural, pois tudo que fazemos aqui é para atendê-lo”, sintetiza.

Parceiras incubadas

A @Tech desenvolve soluções em pecuária de precisão baseadas em pesquisa científico-tecnológica. Fundada pelo pesquisador Tiago Albertini, é uma empresa nascente residente na Esalqtec. Ele considera pontos relevantes da incubadora a lógica cooperativista e o networking estimulados, além da estruturação do plano de negócio.

Segunda empresa instalada na incubadora, a Promip, fundada em 2006, tem base tecnológica, reunindo em seu portfólio produtos biológicos e serviços especializados para a implementação de programas de manejo integrado de pragas. CEO da Promip, o engenheiro agrônomo Marcelo Poletti, destaca a origem e apoio fundamental recebido da incubadora.

Quer saber mais sobre a atuação da Esalqtec? Comente abaixo. Não esqueça de compartilhar o conteúdo com sua rede de contatos.