• Agricultura de precisão
  • Sudeste
  • 23.08.2017
  • Por Meu Agronegócio

Importância das imagens de satélite e geocodificação para o agronegócio

imagem e geocodificação

O uso de dados para tomada de decisão e ações em campo acompanha o agronegócio de grande escala nos dias atuais. Imagem, geocodificação, dispositivos móveis, automatização, sensores meteorológicos e de telemetria, entre muitos outros, oferecem novas possibilidades de controle e planejamento.

“A análise desse grande volume de dados oferece novas possibilidades para o entendimento integrado do planejamento, produção e distribuição da cadeia produtiva”, afirma a diretora da Indústria de Agronegócio da Imagem, Fábia Bem. A empresa apoia empreendimentos, governos e universidades a transformar dados em conhecimento há mais de 30 anos.

Por meio da imagem e geocodificação – isto é, agregando coordenadas geográficas a uma localização e registro visual via satélite –, ocorrem ganhos de produtividade. Quem utiliza sistemas de análise espacial e preditiva agrega valor desde o planejamento da safra até a negociação dos preços das commodities.

A introdução de tecnologias, sistemas, computadores, apps, imagens ou qualquer outro tipo de dado no agronegócio não pode ser mais vista como um diferencial ou mesmo uma opção. “É um processo sem volta, com a utilização de plataformas tecnológicas para gestão integrada, onde se inserem imagem e a geocodificação”, ressalta Fábia.

Exemplos de imagem e geocodificação aplicados

“Temos casos de sucesso de clientes que ampliaram em seis vezes a velocidade na execução de tarefas através do uso de geotecnologia, desde o planejamento até o embarque de mapas digitais precisos nas máquinas de colheita.” Fábia explica que também há exemplos no setor sucroenergético.

Um deles é o da Usina São Manoel, com a implantação da solução SoloSystem, desenvolvida para a gestão de correção e adubação de solo. Foram constatados ganhos de produtividade, agilidade nas operações agrícolas e diminuição de gastos com insumos.

Já na COFCO Agri Brasil, as soluções em sistemas de inteligência geográfica permitiram a geração de mapas via satélite com robusta base de dados, guiando a automação das máquinas de campo. Traçando exatamente o trajeto das colheitadeiras, riscos foram minimizados, enquanto a produtividade foi mantida – ou até elevada.

A Imagem promove encontros de usuários do agronegócio. Grandes corporações compartilham suas experiências de sucesso e os ganhos obtidos com a aplicação de uma plataforma integradora de imagem e geocodificação. “O AgriSummit, realizado em maio deste ano, reuniu em São Paulo 150 representantes dos maiores grupos agrícolas do Brasil”, resume Fábia.

Potencial e estimativas para o setor agro

Fábia avalia as demandas do agronegócio a partir da experiência da Imagem. “Percebemos a necessidade de integração, uma vez que mobilidade, telemetria, agricultura de precisão, integração de sensores e alta disponibilidade de dados estão cada vez mais presentes no dia a dia do produtor, mas isoladamente não dão as respostas necessárias.”

A Imagem vem atuando em vários segmentos do campo, visando auxiliar no desafio de “transformar esse grande volume de dados em conhecimento” resume a diretora. “Com esta visão integrada e inteligente, os produtores passam a ter ferramentas que possibilitam melhorias na gestão e a mitigação de riscos em investimentos realizados e futuros.”

De olho no potencial crescente da cadeia produtiva rural, a Imagem, nos últimos dois anos, vem investindo em uma estrutura de atendimento especializada no agronegócio. A procura do setor pelos processos de inteligência geográfica é o maior entre os doze segmentos atendidos pela empresa.

“Além disto, o resultado de vendas de 2016 para o agro na Imagem teve acréscimo superior a 50% comparado a 2015”, sintetiza a diretora para a área, Fábia Bem.

Acredita que o cruzamento de imagens de satélite e geocodificação pode beneficiar o setor? Compartilhe o artigo e dissemine informações. Dúvidas ou contribuições ao debate? Comente abaixo.