• Entenda qual a importância do solo
  • 13.12.2016
  • Por Meu Agronegócio

Entenda qual a importância do solo para o agronegócio

Importância do solo

A cada ano, a Organização das Nações Unidas (ONU) promove campanhas mundiais em torno de causas ambientais e humanitárias. Em 2015, a entidade celebrou o ano internacional da luz e também do solo. A iniciativa merece destaque porque a importância do solo para a humanidade só costuma ser lembrada quando nos deparamos com imagens de ambientes seriamente degradados.

A conservação do solo é fundamental para a produção de alimentos, ou seja, é um dos pilares da agricultura. É a partir dele que as plantas obtêm os nutrientes fundamentais para o seu crescimento. Para ter uma lavoura produtiva, seja qual for a cultura plantada, é fundamental ter um solo nutritivo ou então bem preparado.

Práticas agrícolas e a importância do solo

Entre as principais técnicas agrícolas aplicadas no solo destinado ao plantio estão a aração, adubação, irrigação e drenagem. Essas ações são planejadas por um engenheiro agrônomo, e obedecem às características do terreno e as necessidades da espécie que será plantada. O problema é quando o conjunto de práticas agrícolas destinadas ao preparo do solo são mal aplicadas.

Nesse caso, a consequência a médio e longo prazo pode ser, em vez de desenvolver um solo nutritivo, contaminá-lo e submetê-lo à erosão. No pior dos cenários, acontece a chamada desertificação, quando o ambiente natural é modificado, alterando a paisagem até que seu solo fique tão seco e desnutrido que suas condições se assemelham às de um deserto.

O abuso na aplicação de fertilizantes e defensivos agrícolas também é prejudicial ao solo e ao meio ambiente como um todo. A consequência das práticas agrícolas irresponsáveis é um grande prejuízo inclusive para os agricultores, que tornam suas próprias terras inférteis para o cultivo por terem subestimado a importância do solo e de seu manejo correto.

Manejo do solo na cultura da soja

A mais significativa cultura agrícola brasileira é a soja, que lidera com folga na lista de bens que exportamos ao exterior. Só em 2015, segundo o Ministério da Agricultura e Pecuária, foram exportados 54,32 milhões de toneladas da oleaginosa. Com uma produção tão pujante, os cuidados com o manejo sustentável do solo devem ser redobrados.

Primeiro porque explorar grandes terrenos plantando apenas um produto – ou seja, praticar a monocultura –, tem efeitos negativos no solo. Isso se deve principalmente pelo fato de que a biodiversidade é reduzida, desequilibrando e empobrecendo o ambiente e, consequentemente, enfraquecendo o solo.

Mas é claro que é possível plantar soja e evitar essas consequências indesejadas. Para isso, recomenda-se utilizar o sistema de plantio direto. Trata-se de um conjunto de princípios que seguem a lógica das florestas, de aproveitar o material orgânico natural do solo como adubo.

O plantio direto baseia-se no revolvimento mínimo do solo (somente no sulco onde a semente é colocada), na cobertura permanente de palha (proveniente da safra anterior) e na rotação de culturas (forma de manejo que consiste em alternar diferentes culturas em uma mesma área na mesma estação).

Compreendeu qual é a importância do solo para o cultivo de soja e de outras culturas? Se ainda tem dúvidas sobre o assunto, deixe um comentário abaixo.