• Rede para compras e trocas
  • 10.11.2016
  • Por Meu Agronegócio

Como funciona a organização em rede para compras e trocas no agronegócio

organização em rede para compras e trocas

Para ter uma lavoura produtiva, o agricultor tem uma série de custos, que vão de insumos a maquinário e mão de obra. Com tantas opções de marcas e classes de produto, a organização em rede para compras e trocas pode ser uma alternativa eficiente tanto para os fornecedores quanto para o produtor. Com ferramentas online é possível ganhar tempo, que pode ser dedicado a outras tarefas importantes.

Startup desenvolve organização em rede para compras e trocas

Uma iniciativa online interessante é a AgVali, startup que criou uma plataforma na web que facilita a venda de uma série de produtos de fornecedores nacionais e internacionais. O objetivo é aumentar a difusão de insumos e tecnologias agrícolas pela cadeia produtiva, aproximando fornecedores e clientes.

Acessando o site, o produtor navega entre opções de fertilizantes, defensivos, serviços, sementes, mudas, tecnologias de ponta, máquinas, implementos e insumos e serviços para pecuária e irrigação. Depois de ler mais detalhes sobre o produto desejado, é possível solicitar um orçamento a partir da ferramenta, com poucos cliques.

Comentando o mercado ao projeto Draft, o CEO da startup, Alexandre Veiga, afirmou que a promoção do agronegócio é necessária para aumentar o número de empregos no país, e a busca pelo aumento da produtividade no setor agrícola nunca foi tão relevante.

Rede para fidelizar clientes

As próprias marcas de insumos agrícolas também podem organizar as suas redes. Nesse caso, funcionando de maneira distinta da AgVali, é claro. Em vez de fazer a mediação de vendas, plataformas online podem servir para fidelizar clientes. Um bom exemplo é a Rede AgroServices, da Bayer.

No portal, há três áreas. Uma plataforma colaborativa, com ferramentas de comunicação instantânea, na qual os produtores, a partir de um login, podem escrever ou responder publicações sobre o desenvolvimento do agronegócio. Outra área é a de notícias, artigos e entrevistas, publicados diariamente em texto, vídeo e áudio, informando o que está acontecendo no mundo do agronegócio.

Por fim, há a área destinada ao programa de fidelidade da Bayer. Os clientes somam pontos quanto mais produtos da marca consumirem, e depois podem resgatá-los, a partir do portal, trocando-os por prêmios como eletrônicos, eletrodoméstico ou até mesmo crédito no cartão Ticket Car, para abastecer a frota com combustível.

Novos modelos de negócio

Apesar dos óbvios benefícios da organização em rede para compras e trocas, já comprovados em tantos outros setores da economia, na agricultura uma mudança de cultura é necessária para a tendência decolar. “Nosso maior desafio no momento é trazer este ambiente de negociação do meio rural, que atualmente ocorre cara a cara, para o meio online”, afirmou ao Draft Alexandre Veiga, da AgVali.

A resistência de muitos produtores à comunicação via internet é um grande entrave. Quanto mais automatizado o serviço, menos pessoal é o atendimento, justamente o que agricultores tradicionais não gostam. O costume é negociar os preços diretamente com um representante comercial.

Mas há também casos interessantes de pessoas do meio rural que, com visão empreendedora e inovadora, aproveitaram a internet para criar novos modelos de negócio. Utilizar o e-commerce para vender da fazenda direto para o consumidor final é um excelente exemplo, porque, eliminando intermediários, é possível aumentar consideravelmente a margem de lucro.

Entendeu por que a organização em rede para compras e trocas pode ajudar a desenvolver o agronegócio? Se você ainda tem dúvidas, deixe um comentário abaixo.