• Sistemas de armazenagem
  • 10.11.2016
  • Por Meu Agronegócio

Sistemas de armazenagem amenizam problemas de logística

Sistemas de armazenagem

Mesmo quem não é do meio sabe que a logística é o principal entrave do produtor rural brasileiro, pois da fazenda até o porto o caminho é longo, demorado e oneroso. O que nem sempre é lembrado com a devida ênfase é que os sistemas de armazenagem são ótimas maneiras de amenizar esse problema crônico.

O produtor que não tem onde armazenar a sua produção acaba praticando a chamada “armazenagem sobre rodas”. Tudo o que é colhido vai para o caminhão e segue direto para o porto. Essa é a realidade de muitos agricultores, e um dos motivos das filas enormes de veículos esperando para descarregar os grãos nos cargueiros ou em armazéns.

Se, ao contrário desse cenário, o produtor tivesse, na sua propriedade, um sistema de armazenagem adequado, não precisaria escoar toda a sua produção de uma só vez. Isso traria a vantagem imediata de economizar no frete e possibilitaria segurar o produto até o período de entressafra, quando os seus preços aumentam.

Apesar desses óbvios benefícios, infelizmente a capacidade de armazenagem no agronegócio brasileiro está muito aquém da produção. Segundo a Companhia Nacional de Abastecimento (Conab), o Brasil tem um total de 17,7 mil armazéns cadastrados, com capacidade para armazenar 152 milhões de toneladas de grãos, enquanto a produção da safra 2015/2016 foi de 186,4 milhões de toneladas.

Cuidados com os grãos

O que acontece é que não adianta armazenar os grãos colhidos de qualquer maneira. Para que o produto não perca qualidade, é necessário investir em uma estrutura de armazéns e silos que contemple a aplicação das corretas técnicas de conservação, que incluem limpeza, secagem e condições adequadas de temperatura, umidade e disponibilidade de oxigênio.

O objetivo é prevenir e combater os fungos e organismos como insetos, ácaros e roedores. Para isso, é fundamental que não haja uma variação muito expressiva nos elementos abióticos, como pressão e níveis de oxigênio. Com as condições adequadas, os grãos podem ser mantidos por anos com uma taxa mínima de deterioração. Em condições desfavoráveis, por outro lado, em poucos dias os danos podem ser enormes.

Principais sistemas de armazenagem

Há várias maneiras de armazenar os grãos de uma produção. O nível tecnológico das instalações vai depender do volume a ser armazenado e, é claro, da disponibilidade de recursos do produtor. Há de se pensar, também, na mobilidade dos grãos com o sistema escolhido.

É possível escolher entre os silos (estruturas verticais, que podem ser de metal ou concreto) e armazéns (de disposição horizontal); entre o armazenamento em granel e convencional (em sacas); e entre estruturas normais e herméticas (com a taxa de oxigênio reduzida).

Com tantas opções, o ideal é que um engenheiro agrônomo competente dê o seu aval e diga, com embasamento técnico e analisando todas as variáveis, qual dos sistemas de armazenagem é o mais eficiente para o seu caso.

Se você gostou do artigo, compartilhe o conteúdo nas redes sociais. Caso ainda tenha dúvidas sobre os sistemas de armazenagem de grãos, deixe um comentário abaixo.