• Sistemas de irrigação
  • 08.11.2016
  • Por Meu Agronegócio

Sistemas de irrigação garantem lavoura mais eficiente

Sistemas de irrigação

Sistemas de irrigação são fundamentais para aumentar a produtividade das lavouras. Por isso, a criação da estrutura necessária para fornecer a quantidade de água adequada às plantações não deve ser encarada como despesa, e sim como investimento. Utilizando o método correto, a colheita vai render muito mais.

A partir da irrigação, as necessidades hídricas de cada cultura são satisfeitas. É importante que a aplicação de água seja uniforme e que se direcione à área radicular da planta, ou seja, na parte do solo que cobre as suas raízes. Isso tudo deve ser feito sem que as condições físicas e químicas do solo se alterem.

A eficiência é maior ainda quando é utilizada a fertirrigação, técnica em que fertilizantes são aplicados diluídos na água da irrigação. Essa prática gera economia na mão-de-obra, já que os dois processos são feitos ao mesmo tempo, e melhora a disponibilidade do fertilizante para a planta, afinal ele será sempre aplicado nas regiões umedecidas pela água.

Principais métodos e sistemas de irrigação

Os sistemas de irrigação correspondem à disposição dos elementos que permitirão o fornecimento de água para as plantações. Eles são compostos por três subsistemas: um de captação, outro de condução e, por fim, o de aplicação.

O ideal é que tudo isso seja planejado por um engenheiro agrônomo. Afinal, uma estrutura mal pensada e mal executada pode gerar desperdícios e danos à saúde das plantas – proliferação de fungos e bactérias, por exemplo.

Um sistema de irrigação costuma utilizar um dos quatro métodos tradicionais, que vamos conhecer abaixo:

Irrigação por superfície

A água é distribuída pela superfície do solo, em fileiras, através da gravidade. É um método barato, que requer equipamentos simples, mas costuma ter menor eficiência, pois o consumo de água é maior.

Irrigação por aspersão

São jatos de água aplicados sobre as plantas, na forma de chuva. Os sistemas aspersores podem ser móveis ou fixos. A desvantagem desse método é que, como a água cai sobre as folhas, pode favorecer a disseminação de doenças.

Irrigação localizada

No método de irrigação localizada, a água é aplicada de maneira constante, direto no solo, geralmente por gotejamento ou microaspersão. Esse método permite maior automação e eficiência, mas tem um custo inicial maior.

Subirrigação

É um método de irrigação subterrânea, geralmente é associado à drenagem, que permite ao lençol freático manter um fluxo de água na zona radicular da planta.

Irrigação para o agricultor familiar

Embora os custos iniciais para a instalação de um sistema de irrigação não sejam tão proibitivos, para o pequeno agricultor familiar essa questão nunca é simples. Muitas vezes, ele não tem condições de adquirir a tecnologia mais avançada. Como deixar a lavoura sem um sistema de irrigação não é uma opção, a saída é improvisar.

Um produtor habilidoso pode construir sistemas alternativos, como o xique-xique (irrigação localizada a partir de tubos perfurados), irrigação direta no solo com garrafas PET, gotejo solar (destilador natural) e sistema de microaspersão com cotonete. Para o subsistema de captação, pode ser utilizada uma bomba de elevação d’água do tipo mandalla.

E você, entendeu por que é importante ter um bom sistema de irrigação na sua plantação? Se ainda tiver dúvidas sobre o assunto, deixe um comentário abaixo.