• Tendências
  • 31.08.2016
  • Por Meu Agronegócio

Tecnologia no campo: conheça as tendências para as lavouras

Tecnologia no campo: conheça as tendências para as lavouras

Os tempos mudaram. Com o avanço da tecnologia no campo, o produtor rural não está mais sozinho no monitoramento da lavoura, tampouco depende de métodos empíricos para encontrar soluções relacionadas ao clima, irrigação e saúde do solo e das plantas. Neste artigo, vamos explicar como o conceito de fazenda inteligente vai transformar o seu trabalho no dia a dia.

Tecnologias da informação e comunicação no campo

Não é novidade que as tecnologias da informação e comunicação – as chamadas TICs – são muito usadas por diferentes setores da economia. No campo, não é diferente, embora a adesão ocorra em ritmo mais lento, detecta Silvia Maria Fonseca Silveira Massruhá, chefe geral da Embrapa Informática Agropecuária.

Apesar de inovações ainda esbarrarem em limitações de infraestrutura nas propriedades rurais, Silvia percebe o maior interesse por recursos que vão de sistemas remotos a aplicativos para smartphones. Ela cita algumas das funcionalidades oferecidas por softwares de gestão:

. Sistemas de irrigação inteligente
. Agricultura de precisão, envolvendo a aplicação de inteligência embarcada
. Automação e rede de sensores locais para mapeamento de solos
. Monitoramento de doenças e de variáveis meteorológicas
. Sistemas de informações georreferenciadas
. Sensoriamento remoto, visando obter mais dados sobre a produção e aspectos ambientais e climático.

Parte dessa nova realidade se deve à diversificação de empresas do agronegócio, que têm buscado desenvolver novas tecnologias, inclusive softwares que permitem a gestão de insumos. “Na outra ponta, as empresas da área tecnológica estão muito interessadas em entrar nesse mercado pela forma como o setor vem conseguindo reagir à crise”, diz Silvia.

Benefícios para o produtor rural

O uso de softwares na gestão atende à demanda do produtor que busca a profissionalização da fazenda. E boas razões não faltam para apostar na ideia. Os principais benefícios estão no acesso à informação e no aumento da eficiência dos processos produtivos (da pré à pós-produção), além da quantidade, qualidade e inserção dos produtos agropecuários no mercado.

Para a especialista da Embrapa, a utilização de tecnologias de forma integrada cria o conceito de fazenda inteligente, que tem entre seus objetivos gerar ganhos de produtividade. “Muitas vezes, com o uso das TICs, o produtor pode obter informações e tomar medidas preventivas, otimizando custos e minimizando riscos ao meio ambiente”, avalia.

O que vem por aí: 6 tendências da tecnologia no campo

O que se vê atualmente nas propriedades rurais brasileiras é apenas o início de um processo que tem como base a otimização no uso dos recursos naturais e insumos. Nessa evolução, a fazenda do futuro vai contar com uma complexa malha de monitoramento e automatização. Então, para você não ficar de fora, é bom prestar atenção nestas seis tendências para a tecnologia nas lavouras, elencadas abaixo por Silvia:

1. O setor agropecuário demandará novas TICs para gestão de dados, informações e conhecimento em todas as etapas da cadeia produtiva, gerando uma nova infraestrutura, na qual o mundo físico e o digital estarão totalmente interconectados.

2. Sensores dispersos por toda a propriedade e interligados à web irão configurar a Internet das Coisas. Objetos, aparelhos e áreas ficarão conectados de um modo sensorial e inteligente e gerarão dados em grande volume (Big Data).

3. Tais dados necessitarão ser filtrados, armazenados na nuvem e analisados.

4. Após a análise, o ciclo será fechado por meio da transmissão remota de comandos aos tratores e implementos agrícolas que, munidos de GPS, farão intervenções pontuais no campo, apenas onde for necessário.

5. A sociedade, por meio das redes sociais, poderá obter informações detalhadas do processo produtivo, dos impactos e das propriedades nutricionais dos produtos em seus dispositivos móveis.

6. A oferta de sistemas de gestão deverá evoluir para conceitos como o Farm Information Management Systems, desenvolvido na União Europeia como uma arquitetura de dados baseados em padrão aberto, integrada com sistemas de monitoramento e a Internet das Coisas.

Desafios que limitam a fazenda inteligente

Ainda há obstáculos para que esses próximos passos se materializem. A seguir, confira três desafios apontados pela chefe da Embrapa Informática Agropecuária:

. Produzir e promover o uso de produtos digitais, tendo como base o que existe de melhor em tecnologia agropecuária

. Capacitação e preparação das novas gerações do campo para essa agricultura digital

. Adaptar as tecnologias às especificidades do meio rural, como às limitações de comunicação existentes e infraestrutura.

E você, como adota a tecnologia no campo? Deixe um comentário.