• Troca de máquinas
  • 15.12.2016
  • Por Meu Agronegócio

Qual é a melhor hora para a troca de máquinas agrícolas?

Troca de máquinas agrícolas

A troca de máquinas agrícolas usadas por novas não obedece aos mesmos critérios que levam uma pessoa a comprar um automóvel zero. Ao contrário do carro, que tem questões como o design, status social e centenas de funcionalidades à parte do motor que influenciam na decisão de compra, os equipamentos para a produção rural são essencialmente funcionais.

Embora cada vez mais rebuscados e confortáveis, o essencial é que a nova máquina agrícola diminua os custos da produção e, no caso das colheitadeiras, tenha uma perda menor em relação à antiga. A modernização da frota faz parte, portanto, de um conjunto de fatores que visam otimizar a produção e aumentar as receitas.

Quando é hora de trocar de máquinas agrícolas

Segundo a Associação Nacional dos Fabricantes de Veículos Automotores (Anfavea), 41% dos tratores do país tem mais de 20 anos de uso. Entre as colheitadeiras, o número salta para 48%. Os dois percentuais são considerados altos. Mas como saber quando a troca de máquinas agrícolas é uma necessidade? Leve em conta os seguintes fatores:

Manutenção

A principal motivação para a troca de máquinas agrícolas é quando a necessidade de manutenção começa a ficar muito frequente e o seu custo, alto demais. Pneus, correias, câmbio, regulagem e limpeza do motor são manutenções rotineiras, cuja necessidade aumenta conforme os anos vão avançando.

Produtividade

No caso das colheitadeiras, é normal que haja pequenas perdas na produção ao utilizá-las. Em equipamentos modernos, essa perda é pequena, e quanto mais idade tiver a máquina, maior o percentual da produção que é perdido por mau funcionamento.

Tempo

Se a máquina está demorando um tempo excessivo para realizar uma tarefa, isso acarreta em perda de dinheiro e de produtividade. Trocá-la por um equipamento novo pode gerar economia no tempo, intensificando a operação e elevando a produtividade.

Dinheiro

É claro que novas máquinas custam bastante dinheiro. O produtor precisa, portanto, garantir que essa quantia não faça falta mais adiante – afinal, após vender a colheita ele geralmente dedica boa parte do dinheiro para pagar o financiamento dos insumos agrícolas usados na produção. Coloque tudo isso na ponta do lápis e procure linhas de financiamento de baixo custo.

Calculando

Todos esses fatores acima devem ser levados em consideração. Muitos agricultores seguem esses critérios de maneira quase intuitiva, sem seguir fórmulas. Mas assim como é recomendável modernizar a frota, a gestão da empresa também precisa de mais tecnologia.

Com um software de gestão, fica muito mais fácil registrar variáveis como custo de manutenção e gastos com combustíveis, para depois calcular e decidir se vale a pena comprar um equipamento novo.

Caso você decida pela troca de máquinas agrícolas, desde o primeiro uso siga as orientações do fabricante, seja rigoroso com a manutenção e opte sempre por peças originais. Assim, o equipamento não sofrerá uma deterioração muito rápida e será econômico por mais tempo.

Gostou do artigo? Então compartilhe o conteúdo com seus amigos nas redes sociais. Se ainda tem dúvidas, deixe um comentário abaixo.